10 de junho de 2008

Em resumo...

Depois de vários dias dias longe deste espaço, por acúmulo de outras (e chatíssimas) ocupações, é hora de dar meus toques no que de relevante aconteceu nesse período:

- Como era esperado, Barack Obama é o candidato democrata às eleições para Presidência dos EUA. A esperada saída oficial de Hillary Clinton da disputa aconteceu em um emocionado discurso sábado passado. Agora é hora de reunificar o partido e partir pra cima do republicano John McCain. Não serão tarefas simples, nem uma nem outra. A primeira porque o tipo de campanha feita por Hillary deixou muitas feridas de complicada cicatrização. E a segunda porque a máquina republicana vai se utilizar bastante de todo o material que as primárias democratas geraram.

- Este nosso país parece se alimentar de escândalos, sejam eles verdadeiros ou simples factóides. Não passa uma semana sem que estoure um novo, qualquer que seja a área. O último é esse do Rio Grande do Sul, com utilização de órgãos públicos para financiar campanhas (onde foi que eu já ví isso?...). Logo antes havia aparecido essa história da compra e venda da Varig, com a Dilma no meio. Antes foi a confusão envolvendo policiais e políticos cariocas com o crime organizado (caça-níqueis e milícias). Tudo isso em menos de 15 dias. Sem querer entrar no mérito de cada caso, o que eu posso dizer é que estou ficando sem estômago pra esse tipo de notícia, principalmente considerando o tipo de cobertura que parte da nossa imprensa faz.

- No esporte, três destaques: o Fluminense, merecidamente na final da Libertadores (ganhar dos "hermanos" tem sempre outro sabor); o vexame da seleção brasileira contra o "poderoso esquadrão" venezuelano (o que é que fizemos de tão ruim pra merecer o Dunga?); e o massacre do Nadal em cima do Federer na final de Rolland Garros (não tem pra mais ninguém no saibro). Nos próximos dias, a final da Copa do Brasil. Hora de secar o "Curíntia".

4 comentários:

anrafel disse...

Para além do varejo de escândalos de corrupção acontecendo no país, temos, no momento, 3 vedetes: o Dilma/Varig, Serra/Alstom e Ieda/Um Monte de Coisas.

Mas não há como deixar de registrar: para o grosso da imprensa parece que só tem o de Dilma.

Sem querer defender o governo Lula (que pode ser defendido e atacado sem qualquer facciosismo), a nossa imprensa (boa parte) se aplica em duas tarefas: expor e multiplicar os podres do governo, procurando escamotear os do PSDB e, ao mesmo tempo, tentar impor um visão de que pensar dessa maneira é complexo de vítima e falta de vocação democrática dos petistas/governistas.

Mas não caiamos no FlaXFlu político.

Agora, o futebol. Sou Sport "desde criancinha". E sou Fluminense desde criancinha mesmo. Fluzão em Tóquio.

Luiz disse...

anrafel,

Quanto aos escândalos e a cobertura da imprensa, perfeito. Assino embaixo.

No futebol, nossa torcida (melhor dizer nossa secada...) deu certo: Sport Campeão.

Para desespero de grande parte da imprensa esportiva de Sampa.

anrafel disse...

De Sampa e do Rio, também. É engraçado você ouvir Cléber Machado e Falcão "articulando' esquemas táticos para o Corinthians chegar ao gol salvador e nada para o Sport manter o resultado ou fazer mais.

Luiz disse...

O Cléber Machado é paulista, mas consta que seria torcedor do Santos. O Falcão é colorado até a medula.

Ou seja, o que aconteceu não foi uma opção pessoal, parece mais uma estratégia da emissora. O que é muito mais grave.