11 de junho de 2008

Opção clara


Advinha para quem eu vou torcer na eleição americana?


Via Political Irony

10 comentários:

anrafel disse...

Será que Hillary vai ser convidada/vai aceitar a vice?

Luiz disse...

anrafel,

É quase um consenso entre os analistas políticos americanos que a Hillary não vai ser convidada por causa da relação custo-benefício, ou seja, os problemas que ela causaria seriam maiores que as vantagens.
Além disso, o grupo mais próximo ao Obama (especialmente sua esposa) não quer ver a Hillary nem pintada de ouro.

anrafel disse...

Realmente, li uma declaração de Jimmy Carter externando essa análise.

Bom, torçamos para que os democratas entrem firme na campanha do Obama.

anrafel disse...

Vou complementar e esclarecer:

"... entrem firme na campanha do Obama a favor do Obama".

Pax disse...

Tb acho que Hillary não vai de vice. Mas, de pata de cavalo, bunda de nenê e eleição a gente nunca sabe o que vai dar.

E aqui? Será que mãe Dilmão vai mesmo ou cai até 2010? E se não for mãe Dilmão quem vai pelo PT?

E do outro lado? Serra, Aécio ou Alckmin?

Esse ano promete lá, mas tô pensando mesmo em cá.

Luiz disse...

Bem-vindo, mestre Pax.

Sua presença honra esse humilde espaço.

Luiz disse...

E quanto as opções do PT fora a Dilma, a essa altura do campeonato, sobram só o Jaques Wagner e o Patrus Ananias.

Ou seja, sobra só o ... Lula.

Pax disse...

Jaques ainda tem alguma nome, Patrus quase zero, é difícil lançar um nome assim.

A honra é toda minha. Abraços !

anrafel disse...

Quando Dilma aceitou o apoio e a campanha precoce de Lula, sabia que viria chumbo grosso, inclusive de dentro do próprio PT. Não sei se ela agüenta até 2010 nem se ainda existe esse trema.

Tem um candidato que certamente vai aparecer no momento devido: Ciro Gomes. Acho um bom nome; aquelas comparaões com Collor são absolutamente sem sentido. E você, Luiz, o que acha?

Aqui na Bahia, Jaques Wágner está enfrentando problemas, principalmente na segurança e saúde. Problemas já existentes no reinado de ACM, mas não abordados pela imprensa acovardada.

No campo das alianças políticas, Wágner está com o PMDB de Geddel Vieira Lima e com aqueles partidos pequenos que apoiam quem oferecer mais. Pra se ter uma idéia, até César Borges, outrora totalmente monitorado por Antonio Carlos, está manso.

No esquema municipal, é briga de foice pelo estado afora: coligação PT/DEM não é coisa rara.

Quanto ao candidato do PSDB, continuo achando Serra o seu melhor nome. Dizem que o cabra tem mil defeitos e talvez seja quase tudo verdade. Mas ainda vejo nele algum resquício do pensamento social-democrata que numa remota era norteou a fundação do partido.

Mas é de achismo em achismo que nós seguimos blogueando pela vida.

Luiz disse...

O principal defeito do Ciro Gomes (aliás, de toda a família Ferreira Gomes) é uma tendência à arrogância. Eles costumam olhar o mundo de coma pra baixo, como se eles fossem os iluminados e donos da verdade.

Apesar disso e de outros poréns, eu pessoalmente acho que ele poderia ser um bom presidente, especialmente olhando-se os nomes que até agora apareceram.

No PSDB, de fato o único quadro ainda levemente social-democrata é o Serra. O Aécio é um ... deixa pra lá, esquece. E o Alckmin é fundamentalmente um reaça.

O problema de ser o Serra o candidato é que voltamos a paulistizar a política nacional, o que no fundo é o que querem as cúpulas tanto do PSDB quanto do PT, partidos com origem paulista e que costumam pensar suas ações e reações colocando à política local de São Paulo como pedra angular. Nisso eles são iguais, irmãos-gêmeos.

Por exemplo: quem é que estava sendo preparado, no primeiro mandato, para suceder o Lula em 2010? Antônio Palloci. Deu zebra, mas o nome era ele.