25 de outubro de 2008

O Barco

Uns dias atrás, batendo papo na caixa de comentário do PD, falei que um dos filmes do qual mais gostava era o alemão Das Boot, que ganhou o título em português de O Barco - Inferno em Alto Mar.

Dirigido em 1981 por Wolfgang Petersen, é com certeza um dos 5 melhores filmes de guerra já realizados (muitos consideram que é o melhor) , e mostra a vida dentro de um submarino alemão durante a 2ª Guerra Mundial com imenso realismo. Posteriormente, todo o material gravado foi transformado em uma mini-série para TV, com 6 episódios de 50 minutos.

Procurei no YouTube vídeos que dessem uma amostra do que é o filme. Não encontrei nenhum totalmente adequado, porém escolhi três.

O primeiro é o trailer da mini-série:




O segundo é praticamente o início do filme, com o capitão chegando para conhecer seu submarino e sua tripulação, e o começo da viagem. A qualidade da imagem é bem superior ao primeiro, mas falta a ação.




E o terceiro é um clipe da música Das Boot, do genial grupo Kraftwerk, um dos pais da música tecno.



Aproveitem.


Atualização: Nos comentários, o Bruno corrigiu uma informação do post relacionada ao terceiro vídeo.

"O remix baseado na trilha sonora original do filme não foi de fato criada pelo Kraftwerk, mas sim pelo U96. Aliás, essa versão é de 1991, muuuuito depois de nossos amigos da Usina de Força terem se firmado como um dos pais da música eletrônica. A confusão é comum pois em algum VMA aí (que eu não lembro exatamente qual o ano, mas nada muito antigo), eles resolveram fazer uma homenagem aos seus conterrâneos fazendo um "remix do remix", já que a música fez relativo sucesso na sua determinada época. Junto com a confusão coletiva de programas nojentos como eMule e derivados, fica estabelecida a dúvida."

8 comentários:

bruN0 disse...

Uma correção, seu Luiz (estranhou um comentário meu? Pois é...):

O remix baseado na trilha sonora original do filme não foi de fato criada pelo Kraftwerk, mas sim pelo U96. Aliás, essa versão é de 1991, muuuuito depois de nossos amigos da Usina de Força terem se firmado como um dos pais da música eletrônica. A confusão é comum pois em algum VMA aí (que eu não lembro exatamente qual o ano, mas nada muito antigo), eles resolveram fazer uma homenagem aos seus conterrâneos fazendo um "remix do remix", já que a música fez relativo sucesso na sua determinada época. Junto com a confusão coletiva de programas nojentos como eMule e derivados, fica estabelecida a dúvida.

Abraços tricolores, porque nossa situação tá ainda pior desde ontem...

Luiz disse...

Nada como ter um assessor para música contemporânea (abrindo o leque o mais possível) dentro de casa.

Quanto ao tricolor, temo que choraremos juntos...

Monsores, André disse...

Ahh sim, eu lembro de ter acompanhado essa conversa. Tinha aquela lista e tudo mais.

Parece ser um ótimo filme, desses que marcam mesmo. Se eu não morasse no fim do mundo da cultura, correria pelas locadoras atrás. Trata-se de um dos gêneros que mais gosto.

Agora, Luiz, não faça como seu amigo aqui e atualize mais esse blog. Você escreve bem pacas e tirando o futebol, que você sabe que detesto, sempre traz ótimos assuntos.

Abraço,
André

Fal disse...

Oh Captains, my captain, o sr. tá bom???

Pax disse...

Taí, marcado para morrer... ops, pra ser assistido !

Obrigado pela dica.

anrafel disse...

Os 80 começaram com a pinta de que Coppola já tinha passado a régua e fechado o livro dos filmes de guerra com "Apocalipse Now". Ledo engano. Tivemos ótimos filmes e "O Barco" é um deles, como também o são "Platoon" e "Nascido para Matar".

Luiz disse...

anrafel,

Particularmente gosto do início de "Resgate do soldado Ryan" e de "Enemy at the gates" (Círculo de Fogo).

anrafel disse...

De fato, o início do "Resgate..." é antológico.