21 de janeiro de 2009

Guantánamo

Obama mandou suspender temporariamente os processos contra os detidos em Guantánamo. E já sinalizou que mandar fechar a prisão.

Ótimo, começou muito bem.

Entretanto, no meio de toda a falação sobre o tema, não me lembro de ter visto ninguém que falasse sobre a própria existência da base.

Um resquício do mais genuíno colonialismo, arrancada de Cuba por um tratado totalmente desigual, a base, mesmo depois da eventual saída dos prisioneiros, continuará depondo contra os Estados Unidos, especialmente frente ao povo da América Latina e Caribe.

Talvez esteja chegando a hora de o governo americano começar a pensar na devolução da área para o controle dos cubanos.

Claro que, antes de mudanças políticas em Cuba, esse tipo de medida enfrentaria pesada resistência dos setores mais conservadores, notadamente da comunidade cubano-americana concentrada na Flórida.

Mas, por outro lado, talvez seja uma boa moeda de troca para persuadir o governo cubano a realizar reformas políticas mais profundas.



4 comentários:

Pax disse...

Ôpa, peraí, arrumei uma solução para o post debaixo.

Coloca o Bush, o Rumsfeld e o Cheneu lá. Claro, porque não pensei nisso antes?

Adam disse...

Eu, pessoalmente, não acho que Guantánamo seja algo tão absurdo... Vários países têm enclaves em outros, Guantánamo é só um exemplo. Ademais, acho que seria tolice negociar Guantánamo em troca de reformas: a devolução seria imediata e garantida, mas as reformas poderiam muito bem não vir. Não é que eu defenda os Estados Unidos nesse caso específico; é que não me parece fazer muito sentido mesmo :)

Luiz disse...

Adam,

Existem enclaves e enclaves. Alguns são centenários (às vezes milenares...), e não faz mais sentido acabar com eles, especialmente onde a população diferenciou-se claramente da do país onde estão imersos.
Mas Guantánamo não tem população civil e foi arrancada por um tratado claramente desigual.
E quanto às reformas em Cuba, a devolução não precisaria ser no início...

Abraços e volte sempre.

DarwinistO disse...

Luiz,

Muito bem observado, não li mesmo nenhum comentário até então sobre a questão.

Apesar de achar muito boa a ponderação do Adam, concordo contigo. Esse terreno deveria ser devolvido ao governo cubano.