5 de junho de 2009

Retrato 3X4 do ruralismo cego

Eis um trecho do pronunciamento feito ontem (dia 4) pelo Senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) na tribuna do Senado, em comemoração à aprovação da Medida Provisória 458/09, que trata da regularização de terras da União ocupadas na Amazônia Legal (links para a íntegra do discurso, em texto, áudio ou vídeo, podem ser encontrados aqui. Recomendo vigorosamente).


"É por isso que nós queremos fazer, sem xenofobismo interno, um diagnóstico real da Amazônia. E tenho o prazer de, tendo sido eleito Presidente da Subcomissão da Amazônia e da Faixa de Fronteira, fazermos esse trabalho, sem negócio de ideologia, sem partidarismo, sem paixões, sem religião, mas com ciência, um diagnóstico que beneficie as pessoas em primeiro lugar, o meio ambiente em segundo lugar, e os bichos em terceiro lugar.

Agora, é um absurdo, Senador Gilberto, que o nosso dinheiro... Pode ver. Você pode pegar, você que está me ouvindo e que está assistindo a esta sessão. Pegue uma nota de um real, de dois, de cinco, de dez, de cinquenta, de vinte, de cem. O que tem nelas? Só bicho, é só animal, não tem um ser humano, um vulto histórico! O Brasil não tem história nas suas cédulas. Pegue as cédulas de dinheiro de qualquer outro país e veja se isso existe. Isso não existe. Isso é o resultado de um ecoterrorismo de que o Brasil vem sendo vítima e que vem assimilando e reproduzindo."


Em vista disso, meus amigos, apenas uma pergunta: com qual ente da natureza devemos comparar o Excelentíssimo Senador?

10 comentários:

Darwinista disse...

Com uma ameba. E espero que ela não fique ofendida.

Nhé! disse...

Tô boa não para comentar tamanha idiotice. Pior que isso vai me consumir o dia inteiro. Acho que vou lá dar um grito...
>-x

Paulo R Silva disse...

Porra Darwin, pensei exatamente nela.

Se bem que o melhor seria compará-lo a um virus: insignificante, mas causa um mal danado, infecta todo um organismo e se reproduz rápido demais.

Darwinista disse...

Mandou bem, Paulo.

Ricardo Cabral disse...

É, o Paulo foi na mosca... êpa, outro bicho chato... ôpa, melhor paro por aqui! :-P

Anônimo disse...

Boas Luiz

Parabéns por não deixar passar em branco.
Esse tipo de gente são nada mais nada menos do que exploradores de recursos naturais (na sua maioria de origem suspeita ou ilegal) além de verdadeiros sangue sugas do Erário, com financiamentos privilegiados,etc.
De "Trabalhadores do Campo" não tem nada , pq o que realmente está trabalhando no campo dá duro e entende que a questao dos recursos naturais é vital para prosseguirem na sua lida diária.

Abcs.
truetrapper

Pax disse...

Essa turma é perigosa e está fazendo e desfazendo. O Minc, que prefere uma aparição teatral à trabalhar sério, saiu aprovando tudo que Lula queria esperando contrapartidas. Não teve nenhuma a não ser o menosprezo geral. Quem é fraco não leva nada mesmo.

Sairá do ministério com sua biografia no lixo. Bem, já não era grandes coisas mesmo.

O que me deixa curioso é a ideologia do neoliberalismo que escolheu seus pontos mais amalucados e fica neles como se fosse um samba de uma nota só:

- criacionismo
- ecoterrorismo
- belicismo
etc

Não daria pra resumir tudo como "imediatismo idiota"?

Essa ideia que o homem por si só, com zero ou quase de governos, é capaz de gerar riquezas, e que essas riquezas gerarão bem estar para todos pegou um monte de gente que acha que a crise americana e mundial do mau caratismo é somente um tropico de um caminho correto.

Barbaridade.

Hoje o Reinaldo Azevedo diz que Kátia Abreu é o "homem" mais forte da oposição.

Pois sim, já desmatamos 13% da Amazônia, quando chegar a 17%, dizem alguns estudos que respeito, não haverá mais volta.

E agora essa turma quer distriuir as terras públicas para as grandes empresas pecuárias, derrubar aquilo tudo e colocar gado pra pastar. É a forma mais eficiente de não sobrar um pé de árvore e impedir qualquer reflorestamento. Quem conhece sabe o que rola com gado em cima, comendo tudo que vê, pisoteando, acaba com qualquer floresta com uma rapidez espantosa. Como se precisássemos. Acontece que aquelas terras sairão de graça e os grandes investidores sabem que é um "excelente negócio" ganhar - ou comprar baratíssimo dos pequenos - derrubar e vender a madeira pois não há qualquer fiscalização efetiva e depois colocar o gado pra criar.

Por uma coincidência, uma dessas grandes empresas pecuárias é do Dantas. O mesmo que Reinaldo Azevedo, Gilmar, Veja, Folha etc apóiam insistentemente como um homem de visão, um trabalhador honesto, um grande empreendedor brasileiro.

Pois é.

Paulo R Silva disse...

Comentário de um executivo de uma grande empresa florestal, vítima de reclamações de sindicalistas rurais: os sindicatos rurais não representam o pequeno produtor. Quem representa o pequeno produtor é a Contag.

Alba disse...

Excelente post, Luiz!

Não que eu discorde dos que falaram em amebas ou vírus, mas o grupo de latifundiários que dirige o país desde maomêno as caravelas, eu classificaria mais como, digamos, pitecantropos tentando ser espertinhos.

Vejam só algumas expressões que o cara usa. O tamanqueira é tanta que fica decididamente engraçado: "xenofobismo interno", os cientistas sociais ainda hão de esclarecer o disparate de juntar xenofobismo - que não existe ou se existe, é insignificante, com "interno", maomêno como "devasso puritano", sacumé?

Depois, o gajo vem com “fazermos esse trabalho, sem negócio de ideologia, sem partidarismo, sem paixões, sem religião, mas com ciência, um diagnóstico que beneficie as pessoas” Grande! Então este seleto grupo, sem ideologia, sem interesses, só por amor “às pessoas”, está acima do bem e do mal. Parece discurso religioso de algum líder desarticulado, viuuuge!

Isso, pra não mencionar o “ecoterrorismo” e outras bobagens do mesmo quilate, mencionando inclusive as cédulas de real. Hilário se não fosse também sinistro, porque este tipo de discurso atinge justamente alguns milhares de desassistidos que aplaudem a perspectiva de um trabalho de devastação que lhes dará a ilusão de sobrevivência, que acaba quando a paisagem for lunar.

A postura do Minc é insuficiente, covarde, pra dizer o mínimo.

Porém, o mais triste é ver (não que me surpreenda), o governo do PT se curvar aos pitecantropos e acabar coonestando uma prática secular, sem grandes novidades e que, bingo! Favorece sempre os mesmos. Arrrghhh!

Abraço!

thisisto disse...

Não tinha pensado poe esse lado da moeda! Nas cédulas dos EUA, por exemplo, são ex-presidentes que sempre estão lá, estampadas para que todos os outros vejam que els por lá passaram e fizeram história. Porém, todos já estão mortos...assim como nossos bichos. Infelizmente, sobraraão raríssimos em pouco tempo.