12 de fevereiro de 2009

Darwin aos 200

(Hoje completam-se 200 anos do nascimento de Charles Darwin. O De Olho no Fato pediu que um dos seus melhores e mais assíduos comentaristas, que é da área, escrevesse algo sobre a data.. Com vocês, um artigo de nosso bom amigo Marcelo Darwinista.)




Classificar alguém como herói é associar esse alguém a feitos extraordinários. O dicionário Houaiss traz algumas definições de um herói:

Indivíduo notabilizado por seus feitos guerreiros, sua coragem, tenacidade, abnegação, magnanimidade etc. (...) indivíduo notabilizado por suas realizações; (...) indivíduo que desperta enorme admiração; ídolo.

Em geral, os ditos heróis são alçados a um grande patamar por seus feitos, que ultrapassam os limites habituais de homens e mulheres comuns, e dificilmente são contestados. Mas, é claro, há exceções. É exatamente o caso de Charles Darwin.

O naturalista inglês nascido há 200 anos faz parte de um grupo especial de homens e mulheres que desenvolveram teorias revolucionárias, fizeram descobertas marcantes, mudaram a história: Newton, Pasteur, Galileu, Mendel, a lista é enorme. Mas provavelmente nenhum deles foi tão questionado e atacado quanto Darwin.

Desde a publicação de A Origem das Espécies há 150 anos, e até hoje, a teoria da evolução pela seleção natural ainda provoca reações não só no meio acadêmico mas, sobretudo, fora dele. Reações, aliás, muito naturais por parte do público leigo. Afinal, a ideia da evolução demonstra ser desnecessária a participação de uma força criadora sobrenatural. Na Europa ainda muito religiosa do século XIX, uma ideia como essa foi um grande escândalo. Tivesse Darwin nascido alguns séculos antes, certamente teria ido para a fogueira nas mãos do Tribunal do Santo Ofício.

Ainda hoje grupos religiosos, especialmente cristãos, dedicam bastante tempo e recursos no combate às ideias darwinistas, buscando inclusive explicações cientificas para demonstrar a participação de Deus na dinâmica da natureza.

Uma das principais estratégias daqueles que combatem as teorias evolucionistas é relacionar os erros cometidos por Darwin. E ele realmente cometeu erros e deixou lacunas importantes.

Darwin, por exemplo, não tinha conhecimentos sobre genética, ciência que estava surgindo naquela mesma época com os experimentos de Gregor Mendel. Aliás, Darwin tinha ideias hoje em dia consideradas bizarras quanto à transmissão das características hereditárias. Ele nunca explicou de maneira convincente como as variações, sobre as quais a seleção natural atua, eram passadas de pais para filhos. Um erro que talvez tivesse sido corrigido, se ele tivesse lido os trabalhos de Mendel. E não foi por falta de oportunidades.

Mas, apesar da fragilidade que pretendem comprovar a respeito de sua teoria, Darwin demonstrou de maneira brilhante e inequívoca que as espécies se transformam ao longo do tempo. A evolução biológica é tão fartamente comprovada e documentada que o meio acadêmico há muito tempo não debate mais se ela ocorre ou não, e sim de que maneira ocorre.

Cento e cinquenta anos de questionamentos seriam mais que suficientes para derrubar a teoria da evolução, caso ela estivesse completamente equivocada. Mas, ao contrário, toda a Biologia, hoje em dia, é fundamentada nos pressupostos evolutivos. Como disse Dobzhansky, em uma das citações mais famosas das ciências biológicas, “nada em Biologia faz sentido exceto à luz da evolução”.

Darwin é, sem dúvida, o maior herói da Biologia moderna. Seus 200 anos de nascimento devem ser celebrados, mas ainda mais os 150 anos da publicação de sua maior obra, que como nenhuma outra na história da Ciência iluminou a estrada do conhecimento humano.

27 comentários:

Pax disse...

Grande post. Grande Marcelo. Grande Darwin.

Dado o exposto, então temos uma evolução possível: Marcelo Darwinista se torna um blogueiro?

É pra se pensar.

E um blog coletivo?

Luiz disse...

Pax,

Estou, já faz algum tempo, com uma ideia borbulhando na minha cabeça.

Quem sabe...

DarwinistO disse...

Grande Pax,

Essa pulga blogueira anda rondando minha orelha nos últimos dias.

Blog coletivo? Também parece bom!

Pax disse...

Discutamos acolá?

DarwinistO disse...

Pax,

Certamente.

nada será como antes disse...

Parabéns Luiz e Darwinista, pela iniciativa e pelo texto sintético e articulado.

Darwin, apesar de alguns traços pessoais sensíveis, foi essencial não apenas à Biologia, mas para o desenvolvimento da atividade científica.

André disse...

Dá um baita orgulho de ter amigos assim.

Darw, meu caro, ótimo texto. Abra seu blog. Se quiser eu monto um pra você e você só se preocupa em escrever. Faço um layout bonito.

DarwinistO disse...

nada,

Obrigado pelos elogios, não só aqui como no Weblog. Ando considerando seriamente a sugestão que você deu por lá.

Grande abraço.

DarwinistO disse...

André,

Valeu pelo elogio! O orgulho é recíproco, você sabe.

E vamos conversar sim sobre isso. Mais tarde te mando um mail a respeito.

Abração

radical livre disse...

Luiz e Darwinista

muito bom texto. acordei hoje pensando nos duzentos anos deste homem que mudou o mundo, permitindo a nós, pobres mortais, escapar das armadilhas da religião (Deus está morto, disse Nietzsche, logo depois).

DarwinistO disse...

Valeu Radical Livre!

Mas tenho minhas dúvidas se o próprio Darwin ficaria feliz com esse efeito colateral que suas ideias causaram. Essa embate interno entre a fé e os fatos naturais certamente atormentava um pouco seus pensamentos.

Abraço!

El Torero disse...

Baita texto, muito bom mesmo. Mas realmente já se esperava algo assim, vindo de quem veio.
Sem falar que o Darwinista tem textos ótimos perdidos nas caixas de comentários do PD, que, se recuperados, alimentariam um belo blog.

Luiz disse...

Então, companheiros, está aberta a campanha:

BLOG DO DARW, JÁ !!!

gwyn disse...

Darw,

Muito bom o texto. Gostei tanto que liguei para minha irma para recomendar que leia. Afinal, ela tambem entende do assunto...
Aguardo o seu blog para aducionar aos meus favoritos ;D

DarwinistO disse...

El Torero,

Elogios de deixar encabulado! Valeu mesmo.

E bem, vocês estão me deixando cada vez mais com vontade de arriscar o empreendimento...

Abração!

DarwinistO disse...

Hehehehe...

Luiz, mas que fique registrado desde já que, se esse blog sair, você será um dos parceiros/cúmplices.

:-)

DarwinistO disse...

Gwyn!

Há quanto tempo não nos falamos. Por culpa minha, eu sei...

Que bom que você gostou, e obrigado por divugá-lo. Espero que sua irmã também goste.

Pode deixar que, saindo o blog, você será avisada de primeira.

Colafina disse...

Darwinista,
Bom texto, sucinto e objetivo. Condição primeira para fazer um bom blog. Bela estréia como blogueiro, ainda que não o seu próprio, parabéns!

Pax disse...

Ôpa,

Incluo-me na campanha do Blog do Darwininsta.

Nat disse...

Nossa!!!! Só o Luiz pra fazer o Darwin escrever hahahahaha

Estou na campanha pelo Blog do Darw já há muito tempo ;- )

Contem Comigo!!!!

DarwinistO disse...

Colafina,

Valeu pelos elogios!

Nat,

Pode ter certeza que eu não esqueci que você foi a primeira...
:-)

anrafel disse...

Me incluam dentro dessa.

Anônimo disse...

Eu teria gostado do texto se não tivesse sido escrito pelo darwinista, pois sempre fui fã do CHARLES DARWIN. Acho a teoria fantástica.

Sempre não custa nada, e me incluam fora desta aí:

SPORT CLUBE DO RECIFE CAMPEÃO DA COPA DO BRASILLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

CURINTIA TIMINHO!!!!! PERDEU PLAYBOY.

Ricardo Cabral disse...

Darw, cheguei tarde à festa, mas não tão tarde a ponto de deixar de comentar sobre o prazer de ler o teu texto. Obrigado por obrigá-lo, Luiz! ;-)

E junto-me ao coro: comece logo o seu blog, Darwinista!

DarwinistO disse...

Ricardo Cabral,

Nunca é tarde pra se receber elogios de quem eu admiro. Valeu!

Rafael disse...

“Entre os selvagens, os fracos de corpo ou mente são logo eliminados; e os sobreviventes geralmente exibem um vigoroso estado de saúde. Nós, civilizados, por nosso lado, fazemos o melhor que podemos para deter o processo de eliminação: construímos asilos para os imbecis, os aleijados e os doentes; instituímos leis para proteger os pobres; e nossos médicos empenham o máximo da sua habilidade para salvar a vida de cada um até o último momento... Assim os membros fracos da sociedade civilizada propagam a sua espécie. Ninguém que tenha observado a criação de animais domésticos porá em dúvida que isso deve ser altamente prejudicial à raça humana. É surpreendente ver o quão rapidamente a falta de cuidados, ou os cuidados erroneamente conduzidos, levam à degenerescência de uma raça doméstica; mas, exceto no caso do próprio ser humano, ninguém jamais foi ignorante ao ponto de permitir que seus piores animais se reproduzissem.”

Rafael disse...

o trecho acima é de Charles Darwin....