20 de maio de 2009

Autodeclaração de raça

A Câmara pode estar votando hoje (ou nesses dias) em uma comissão especial o Estatuto de Igualdade Racial.

Não é minha intenção discutir aqui o mérito do Estatuto e sua principal consequência, a política de cotas raciais. Até um tempo atrás eu era claramente favorável ao projeto, mas hoje tenho minhas dúvidas.

Quanto às cotas sociais, continuo um entusiasta.

Mas como eu disse antes, não quero aprofundar (pelo menos hoje) a discussão.

Quero é contar um episódio acontecido 2 dias atrás.

A empresa onde trabalho se prontifica em pagar treinamentos externos para os funcionários, desde que ligados às funções de cada um.

Apareceu um curso interessante, oferecido por um órgão do Sistema SESI-SENAI, e eu pedi para ser inscrito. A área de RH da empresa aprovou e me enviou uma ficha de inscrição emitida pelo órgão.

Comecei a preencher a ficha, e notei a quantidade de informações pessoais que eram solicitadas. Até o número da Carteira Nacional de Habilitação eles queriam saber...

Aí dei de cara com um item que pedia que eu declarasse minha Raça/Côr (assim mesmo...) e davam as seguintes opções: Branca, Negra, Parda, Amarela, Indígena e Não Identificada.

Colocando de lado que o significado da opção Não Identificada permaneceu para mim um mistério, o que me bateu na hora foi: Eu tenho que responder uma pergunta dessas? Porquê?

Primeiro, para que esse tipo de pergunta? Sua resposta não faria a menor diferença para o órgão nem para o curso.

Depois, e mais importante: acho este tipo de questionamento totalmente desrespeitoso, ofensivo mesmo.

Sou um cidadão brasileiro que paga seus impostos e não quer nenhum tipo de privilégio nem aceita nenhum tipo de preconceito baseado na cor da pele. Nesse assunto, sou o que sou e ninguém tem nada com isso. Não dou a ninguém o direito de fazer este tipo de pergunta, especialmente sem um excelente motivo (questões de saúde, por exemplo).



Antes que alguém pergunte, marquei a opção Não Identificada.

Isso porque não achei a opção Verde ou Klingon.

13 comentários:

Pax disse...

Esse assunto de cotas raciais é um erro absurdo, também na minha opinião.

O filho de um magnata de uma etinia minoritaria teria, então, preferência de um filho de um branco que passa super necessidade?

Absurdo do absurdo.

Belo assunto.

Nhé! disse...

Parabéns pela atitude.
Eu sempre deixo em branco essa pergunta (que aliás, faz tempo que não vejo em formulários).

anrafel disse...

O problema é esse tipo de questionário passar a ser usado em todas as instituições como meio de se fazer um imenso censo racial. Com que objetivo?

Um programa de cotas sociais (renda familiar, estudo em escola pública) beneficiaria amplamente alunos negros, visto a sua larga presença nas camadas mais carentes da sociedade.

Além de não por na berlinda a questão racial no sentido de alimentar preconceitos, hostilidades e gerar contradições semelhantes à citada por Pax.

Esse á um assuntaço. Já li um artigo muito bom de Antonio Risério. Contra as cotas raciais. Idelber discordou.

P.S: Luiz, no "Tô sempre..." tem o Darwiniano duas vezes.

uri disse...

Boas Luiz

Segue ai um relato breve daqui da roça:

Uma das 3 únicas da bacia leiteira aqui do sudoeste de MG que tem a ISO 14001

834 alq sendo
167 de reserva legal
667alq produtivos .
Sendo que estes 667alq estão divididos da seguinte forma:
311 para plantio com os seguintes resultados abaixo:
400 sacas por alqueire de milho,140 por alqueire de feijão por safra (2 ao ano)
243alq para gado de corte
88 alq para o gado de leite nas seguintes condições:
5.659,79 Produtividade leite (kg/vaca/lactação) com 31,43 Produtividade leite (kg/vaca/dia) em 180 d.d.p
1.800kg media dia de produção.
25alq restantes destinados da seguinte forma:
10 de pomar sede , escritório currais sala de ordenha etc.
15 divididos em 10 partes iguais e livres para 10 empregados sendo destes 6 nordestinos 2 da Bahia 1 de Alagoas 1 do Ceara 2 do Piauí os quais tem no total 28 filhos destes 20 são obrigados a ir a escola na cidade diariamente e 5 que ficam o dia inteiro fazendo outros cursos e atividades e dos 8 restantes 4 na Faculdade (paga pela fazenda) e 4 ainda não em idade escolar.

Luiz disse...

anrafel,

Obrigado pelo aviso. Problema corrigido.

E sobre as cotas, se não me engano o Idelber apóia mas com ressalvas. Conversei com ele uma vez via e-mail e ele transpareceu isso.

Darwinista disse...

Como já dizia o sábio André Abujamra (e sei lá se ele se inspirou em alguém): alma não tem cor.

quilombonnq disse...

1.parte REVOLUÇÃO QUILOMBOLIVARIANA !
A COMUNIDADE NEGRA AFRO-LATINA BRASILEIRA
APOIA E É SOLIDARIA AO POVO PALESTINO.VIVA A PALESTINA!
Viva! Chàvez! Viva Che!Viva! Simon Bolívar! Viva! Zumbi!
Movimento Chàvista Brasileiro

Manifesto em solidariedade, liberdade e desenvolvimento dos povos afro-ameríndio latinos, no dia 01 de maio dia do trabalhador foi lançado o manifesto da Revolução Quilombolivariana fruto de inúmeras discussões que questionavam a situação dos negros, índios da América Latina, que apesar de estarmos no 3º milênio em pleno avanço tecnológico, o nosso coletivo se encontra a margem e marginalizados de todos de todos os benefícios da sociedade capitalista euro-americano, que em pese que esse grupo de países a pirâmide do topo da sociedade mundial e que ditam o que e certo e o que é errado, determinando as linhas de comportamento dos povos comandando pelo imperialismo norte-americano, que decide quem é do bem e quem do mal, quem é aliado e quem é inimigo, sendo que essas diretrizes da colonização do 3º Mundo, Ásia, África e em nosso caso América Latina, tendo como exemplo o nosso Brasil, que alias é uma força de expressão, pois quem nos domina é a elite associada à elite mundial é de conhecimento que no Brasil que hoje nos temos mais de 30 bilionários, sendo que a alguns destes dessas fortunas foram formadas como um passe de mágica em menos de trinta anos, e até casos de em menos de 10 anos, sendo que algumas dessas fortunas vieram do tempo da escravidão, e outras pessoas que fugidas do nazismo que vieram para cá sem nada, e hoje são donos deste país, ocupando posições estratégicas na sociedade civil e pública, tomando para si todos os canais de comunicação uma das mais perversas mediáticas do Mundo. A exclusão dos negros e a usurpação das terras indígenas criaram-se mais e 100 milhões de brasileiros sendo estes afro-ameríndios descendentes vivendo num patamar de escravidão, vivendo no desemprego e no subemprego com um dos piores salários mínimos do Mundo, e milhões vivendo abaixo da linha de pobreza, sendo as maiores vitimas da violência social, o sucateamento da saúde publica e o péssimo sistema de ensino, onde milhões de alunos tem dificuldades de uma simples soma ou leitura, dando argumentos demagógicos de sustentação a vários políticos que o problema do Brasil e a educação, sendo que na realidade o problema do Brasil são as péssimas condições de vida das dezenas de milhões dos excluídos e alienados pelo sistema capitalista oligárquico que faz da elite do Brasil tão poderosa quantos as do 1º Mundo.
O.N.N.QUILOMBO –FUNDAÇÃO 20/11/1970
quilombonnq@bol.com.br

quilombonnq disse...

2 parte REVOLUÇÃO QUILOMBOLIVARIANA !
É inadmissível o salário dos professores, dos assistentes de saúde, até mesmo da policia e os trabalhadores de uma forma geral, vemos o surrealismo de dezenas de salários pagos pelos sistemas de televisão Globo, SBT e outros aos seus artistas, jornalistas, apresentadores e diretores e etc.
Manifesto da Revolução Quilombolivariana vem ocupar os nossos direito e anseios com os movimentos negros afro-ameríndios e simpatizantes para a grande tomada da conscientização que este país e os países irmãos não podem mais viver no inferno, sustentando o paraíso da elite dominante este manifesto Quilombolivariano é a unificação e redenção dos ideais do grande líder Zumbi do Quilombo dos Palmares a 1º Republica feita por negros e índios iguais, sentimento este do grande líder libertador e construí dor Simon Bolívar que em sua luta de liberdade e justiça das Américas se tornou um mártir vivo dentro desses ideais e princípios vamos lutar pelos nossos direitos e resgatar a história dos nossos heróis mártires como Che Guevara, o Gigante Osvaldão líder da Guerrilha do Araguaia. São dezenas de histórias que o Imperialismo e Ditadura esconderam. Há mais de 160 anos houve o Massacre de Porongos os lanceiros negros da Farroupilha o que aconteceu com as mulheres da praça de 1º de maio? O que aconteceu com diversos povos indígenas da nossa América Latina, o que aconteceu com tantos homens e mulheres que foram martirizados, por desejarem liberdade e justiça? Existem muitas barreiras uma ocultas e outras declaradamente que nos excluem dos conhecimentos gerais infelizmente o negro brasileiro não conhece a riqueza cultural social de um irmão Colombiano, Uruguaio, Venezuelano, Argentino, Porto-Riquenho ou Cubano. Há uma presença física e espiritual em nossa história os mesmos que nos cerceiam de nossos valores são os mesmos que atacam os estadistas Hugo Chávez e Evo Morales Ayma,Rafael Correa, Fernando Lugo não admitem que esses lideres de origem nativa e afro-descendente busquem e tomem a autonomia para seus iguais, são esses mesmos que no discriminam e que nos oprime de nossa liberdade de nossas expressões que não seculares, e sim milenares. Neste 1º de maio de diversas capitais e centenas de cidades e milhares de pessoas em sua maioria jovem afro-ameríndio descendente e simpatizante leram o manifesto Revolução Quilombolivariana e bradaram Viva a,Viva Simon Bolívar Viva Zumbi, Viva Che,Viva MalcolnX ,Martin Luther King, Viva Osvaldão, Viva Fidel,Viva Mandela, Viva Chávez, Viva Evo Ayma, Viva a União dos Povos Latinos afro-ameríndios, Viva 1º de maio, Viva os Trabalhadores e Trabalhadoras dos Brasil e de todos os povos irmanados.
O.N.N.QUILOMBO –FUNDAÇÃO 20/11/1970
quilombonnq@bol.com.br

Luiz disse...

Vixe...

Nhé! disse...

Isso não é um hoax?
Já li essas abobrinhas antes.

Luiz disse...

Pode ser, Nhé!

Acharam um post que falava em raças, cotas, etc. e mandaram bala...

Pablo Vilarnovo disse...

Grande Luiz!
Concordo contigo. O que me deixa chateado também é quando vem e me diz que sou privilegiado por ter estudado em escola particular, feito curso pré-vestibular e faculdade pública.

Bem, sou filho de imigrante que chegou ao Brasil sem um tostão furado. Trabalhou a vida inteira consertando carros que nunca pode comprar justamente para ter dinheiro para bancar estudos para os filhos. Abriu mão até de uma vida mais confortável, de férias, viagens e outras coisas mais. Nunca pediu nada de graça a ninguém e nunca achou que o governo lhe devesse algo apesar dos altos impostos que sempre pagou.

O único privilégio que tive foram a educação e a perseverança de meus pais.

thisisto disse...

Beleza, Luiz?
Olha, também acho ridículo essa coisa de ficar respondendo em questionário coisas que nada tem a ver com a verdadeira intenção. As coisas não são colocadas de uma maneira clara e legível. Que o tal do Censo, faça o levantamento de uma maneira mais direta com a população brasileira.
Porém, tudo relativo a Cotas, foi primeiramente pensado aos Afro descendentes, que nem queriam vir para cá. Se não fossem os Portugueses terem escravizados...